Home › Tags › lentes negativas

O que é refração? O que é lente?

A refração acontece quando a luz atinge uma superfície e atravessa essa superfície.

Quando usamos óculos a luz atinge a lente dos óculos e passa por ela, chegando até o cristalino, e atravessa o cristalino até chegar à nossa retina. A luz passou de um meio para o outro.

Formação da imagem no olho humano

www.fotoselentes.blogspot.com.br

Veja: a luz refletida por um objeto, uma árvore por exemplo, caminha pelo ar até chegar à lente dos óculos. Ela atravessa a lente dos óculos e caminha mais um pouco pelo ar até atingir o a córnea e o cristalino do olho. Atravessa o cristalino, e o humor vítreo e vai chegar até a retina, onde a imagem é projetada e será interpretada pelo cérebro. (Nós já vimos como se forma a imagem no olho humano… Para relembrar, acesse: http://professorhonda.blog.br/2014/03/07/como-se-forma-a-imagem-no-olho/#more-280 )

A luz refletida pelo objeto atravessou diversos meios até chegar à retina. Cada um desses meios é diferente do outro na sua composição e densidade. Cada um dos meios oferece uma condição diferente para a passagem da luz…

 

Para ilustrar esse fato, vou utilizar aqui um exemplo bem grosseiro, ok? Se nós tivermos um aquário com uma camada de cascalho no fundo, coberto por uma cama de areia, coberta por uma camada de água e introduzirmos um lápis para atravessar todas as camadas… Cada uma das camadas vai oferecer um tipo de resistência à passagem do lápis, não é?

Então, vamos voltar à óptica… A luz, que nada mais é do uma onda eletromagnética, vai atravessar diversos meios diferentes, que irão cada qual à sua maneira, alterar a velocidade com que a onda os atravessa. Essa alteração na velocidade vai causar um desvio na trajetória dessa onda. A direção da luz será alterada… Isso é refração. E é por esse motivo que quando estamos pescando com um arpão nós não podemos lançar o arpão na direção onde vemos o objeto. Como a luz foi desviada, o objeto está, na verdade, numa posição diferente da que enxergamos, como mostra a imagem abaixo.

Refração da luz na atravessando o meio água / ar. A refração aproxima a imagem da superfície da água, mas o objeto permanece no fundo.

Os elementos que compõe os olhos são todos “equilibrados” para fornecer uma visão nítida do objeto que estamos mirando. As curvaturas desses elementos e suas densidades naturalmente se compensam para a formação da imagem na retina, apesar de ser invertida – o que será interpretado pelo cérebro.

Em alguns casos, como já vimos nos textos anteriores, algumas pequenas diferenças podem comprometer a formação da imagem e esses problemas poderão ser compensados utilizando-se lentes corretivas. (ver ametropias).

 

A lente é um novo meio que será introduzido na trajetória da luz e causará refração, alterando sua trajetória e a forma como a luz incide nos nossos olhos, corrigindo distorções causadas por algum tipo de ametropia.

Atenção aqui: o objeto (no nosso exemplo, a árvore) ainda está no mesmo lugar, nossos olhos estão no mesmo lugar. O que está sendo alterado aqui é a trajetória do raio de luz, para que esse novo “desvio” possa compensar o grau de incidência da luz em nossos olhos, certo?

hipermetropia: correção e formação de imagem utilizando lentes positivas

 

O QUE É LENTE?

Lente é um elemento que atua por refração, introduzindo descontinuidades no meio em que a luz se propaga inicialmente, e que reconfigura a distribuição da energia transmitida, independente da frequência da luz, isto é, tanto no ultravioleta como no domínio óptico, infravermelho, micro-ondas, ondas, rádio ou mesmo ondas acústicas. A forma da lente irá depender do tipo de reformatação da onda luminosa que se deseja.

Diversos tipos de lentes. A forma da lente irá depender do tipo de reformatação da onda luminosa que se deseja.

Lentes são feitas de material transparente, com o seu Índice de Refração conhecido, que possui duas superfícies trabalhadas e polidas, com vergência ou Dioptria (“Grau”) e que serve para correção, proteção, segurança, filtrante, estético, etc. Quanto ao seu uso ou mesmo emprego, as lentes podem ser usadas tanto em Óptica Oftálmica, que é o nosso caso, ou em Óptica mecânica ou instrumental.

Tecnologia Free-form: A Evolução no Processo de Produção das Lentes. Parte 3

PARTE 3

 

Falando de lentes progressivas feitas com tecnologia Free-form é importante frizar que o conhecimento do vendedor é fundamental para auxiliar o consumidor a escolher a melhor entre várias opções.

Enquanto antigamente o usuário “tinha” que se acostumar ao produto, hoje podemos dizer que é o produto que pode se adequar a necessidade do cliente.

“Mas como isso é possível???”

Se essa é a sua pergunta vou responder. Quando se trata de lentes Free-form ou feitas com tecnologia Free-form o que comanda a produção é o software. Então se o software instalado tiver a capacidade de criar um desenho para cada necessidade, isso irá proporcionar a liberdade de adequar o produto ao cliente. Por exemplo:

Lentes digitais. Processo de surfaçagem tradicional, utilizando moldes. Lentes multifocias

O cliente é um motorista de ônibus ou caminhão ou mesmo um taxista, com certeza esses profissionais usam muito o campo de longe pois os seus olhos precisam estar atento ao trânsito e no horizonte, mas se você estiver falando com um desenhista, escritor ou mesmo um caixa de banco com certeza a maior necessidade visual é para perto ou de proximidade, neste caso o progressivo deve privilegiar a visão de perto. Concluindo os dois grupos de pessoas precisam de produtos que atendam as necessidades diferentes.

Lentes digitais. Processo de surfaçagem tradicional, utilizando moldes. Lentes multifocias Sabendo de todos esses detalhes o operador do sistema de cálculo das máquinas Free-form abastece o programa com dados que irão gerar lentes diferentes para cada grupo de usuário, sendo assim para aqueles que precisam mais de campo de longe o software cria ou seleciona um desenho mais adequado que “aumenta” o campo de longe, mas com isso diminui o campo de perto. Agora, se o caso for visão de perto como os bancários, podemos selecionar um desenho que privilegia o campo de perto e sacrifica um pouco o campo de longe. Com isso os dois casos atendem plenamente às necessidades dos clientes. Bacana, né?

Tecnologia freeform. Produção de lentes progressivas Lentes funcionais produzidas com tecnologia freeform. Lentes com mais qualidade

Podemos então dizer que o diferencial está sobretudo na capacidade de produção do Software, do conhecimento do vendedor, entre outros fatores.

Resumidamente podemos dizer que essa é a diferença básica entre as tecnologias, mas aviso é preciso estudar mais para total domínio das diferenças e dos ganhos de cada um dos processos, ok?

 

Conheça também como funcionam os laboratórios de lentes digitais. Assista o vídeo da Optview ao lado, no menu do blog (ou acesse o site www.lentes.optview.com.br )

Lente positiva e lente negativa

Nós vimos no post  EMETROPIA  X  AMETROPIA que muitos dos problemas visuais derivam de algumas alterações anatômicas, que acabam por alterar as dimensões das estruturas do globo ocular causando alterações no ângulo de refração da luz, ocasionando uma mal formação da imagem no olho.

Problemas visuais. Erros de refração da luz no olho humano

Resumindo: Os feixes de luz refletidos pelos objetos incidem em nossos olhos (perpendicularmente) e sofrem refração devida à mudança de meio (do ar, passam por um sistema de “lentes”) e diferentes materiais. Em um olho normal, com suas estruturas e dimensões corretas, as imagens se formam na retina. Em olhos amétropes, essas imagens se formam antes ou depois da retina, desfocadas e não nítidas.

O olho humano pode ser dividido em seis funções físicas fundamentais:

– a refração, cujos elementos responsáveis são a córnea, o cristalino e os humores aquoso e vítreo;

– A auto-focalização, feita pelo cristalino e pelos músculos ciliares;

– O controle da luminosidade interna feito pela íris e pupila;

– A detecção, feita pela retina (pelos cones e bastonetes);

– A transmissão da informação ao cérebro, feita pelo nervo e as vias ópticas, e

– A refrigeração da retina feita pela coróide.

Qualquer alteração em um desses componentes compromete a acuidade visual. Continue reading »